A Gordura que Emagrece!

Por Vinicius Heine

Existe dentro do nosso organismo uma grande arma que pode ajudar no processo de emagrecimento e combate à obesidade. Trata-se da gordura marrom, que acelera o metabolismo e ajuda a queimar calorias. Sua principal função é gerar calor quando um indivíduo está exposto a baixas temperaturas. Nos recém-nascidos ela está presente numa quantidade considerável, já que nesta fase da vida somos incapazes de gerar outros mecanismos de proteção contra o frio, como o tremor.

Pesquisas científicas recentes identificaram a presença do tecido adiposo marrom também em adultos nas regiões do pescoço, abaixo da clavícula e ao longo da espinha.

Uma pesquisa realizada por cientistas suecos identificou a queima de calorias pela ação do tecido adiposo marrom em indivíduos que permaneceram por duas horas em uma sala com temperatura que variou de 17 a 19 graus. Pesquisadores holandeses identificaram os mesmos resultados em temperaturas abaixo de 16 graus.

A gordura marrom apresenta um grande papel no processo de emagrecimento e no combate à obesidade e ao excesso de peso, pois quando ele á ativada inicia-se um intenso processo de queima de calorias. Elas queimam mais calorias porque são dotadas de um número maior de mitocôndrias – estrutura celular responsável pela produção de energia.

Mas não são apenas as baixas temperaturas que ativam a gordura marrom. Pesquisa publicada na Revista “Nature” apontou a prática de exercícios físicos como um caminho eficaz para o aumento do gasto calórico à partir da ação da gordura marrom.

O exercício físico aumenta no organismo a concentração do hormônio irisina que induz à formação de tecido adiposo marrom em vez de estimular a produção da gordura branca, aquela que guarda gordura.

Outra estratégia para elevar a produção da gordura que emagrece pode estar na maçã e mais especificamente no ácido ursólico, presente na casca da fruta. Num estudo realizado com animais, metade das cobaias recebeu uma dieta rica em gordura por várias semanas. O restante ingeriu os mesmos alimentos, em maior quantidade, mas ganhou doses diárias do ácido ursólico. No final do experimento, os que haviam recebido suplementos do composto engordaram menos do que os outros. O desafio agora é provar se os mesmos resultados podem ser observados nos seres humanos.

Em outro estudo realizado com cobaias animais, pesquisadores da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos observaram que ambientes ricos em estímulo (brincadeira e atividade física e contato com outros animais, por exemplo) são fatores que também podem ativar o tecido adiposo marrom, o que sugere que modificações no estilo de vida são fundamentais para o aumento da ação da gordura que emagrece!

Categorias: Emagrecimento, Saúde

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>